quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Gonzalo Martinez # 7


As outras partes de Gonzalo aqui




O silêncio imperava por todo o território da pequena cidade e é verdade que em alguns cantos havia acessos de bebedeira ou choradeira.


O corpo estendido no meio do salão quadricular do boteco mais famoso da cidade não atraiu nenhum repórter ou câmera. Apenas rostos atônitos , surpresos e desprovidos de suas mais intensas esperanças. 


Um enorme corpo jazia naquele empoeirado bar, com rosto desfigurado. Um tiro certeiro e covarde havia atingido-o pelas costas. Uma menina que soluçava sentenciou: Só assim é que matam heróis!


Na Prefeitura homens brindavam o novo acordo entre goles e camarões, seus risos se estendiam na medida de suas contas bancarias. Agora sim o prefeito e a Corporação estavam felizes pelo feito. Graças uma pequena fraqueza do Coronel - mulheres - eles conseguiram acabar com aquela entidade que orbitava a cidade e não tinham nenhuma duvida que sem o vulto do homem, aqueles seres eram apenas formigas que podiam ser esmagadas.


O povo ficará por três dias de luto e depois...depois virá a vingança ! 


Aviso: Os personagens e a história em si são uma obra de ficção e qualquer coincidência é mero acaso. A realidade continua sendo bem mais crua.

Imagem: Morgue File


Thiago Mendes

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Gonzalo Martinez # 6


Gonzalo # 1

Gonzalo # 2

Gonzalo # 3

Gonzalo # 4

Gonzalo # 5










A primeira vez que Gonzalo Martinez quase morreu foi ao nascer de parto prematuro. Sua mãe – que a deusa a tenha – foi aconselhada a deixar o filho morrer, mas preferiu partir em seu lugar. Para Gonzalo sua mãe é a Deusa.


A segunda vez foi na juventude quando um raio caiu nele e ao que tudo indica o garoto milagrosamente sobreviveu sem maiores cicatrizes ao fato. Por isso Gonzalo é o filho do Trovão.


A terceira vez foi uma chacina promovida por algum grupo de mercenários que desejava as terras onde viviam o povoado de Gonzalo. Todos morreram neste dia, apenas ele resistiu às balas. Para o povo Gonzalo tem o corpo fechado.


As outras seis tentativas de a morte lhe alcançar lhe trouxeram grandes cicatrizes e mais fama. Salvou uma menina de ser estuprada por cinco capangas armados. Resistiu a uma febre exótica na selva. Restituiu grande parte das terras indígenas. Destituiu do poder ao menos dois prefeitos. Nunca saiu da cidade, contudo todos o chamam em reverência as seus fatos de General.


Todavia da próxima tentativa ele não escapará...


Aviso: Os personagens e a história em si são uma obra de ficção e qualquer coincidência é mero acaso. A realidade continua sendo bem mais crua.



Imagem: Morgue File




Thiago mendes

domingo, 22 de novembro de 2015

Diário de Bordô do Plaz # 4






Não deve ter sido pelas cervejas.

Nem pelas batatas fritas.

Acordei tarde demais para a prova do Enade.

Corri.

Saltei para dentro do ônibus feito de ferro.

Retorcido no calor abrasivo.

Um copo de cerveja, por favor!

Na praça pela janela o culto caminha.

Com canelas cobertas o culto canta.

No meio do caminho desespero.

Uma imagem.

Santa, católica, procissão...

Tráfego.

Talvez.

Trânsito.

Com os braços abertos a estátua sorri.

Eu desesperado aceno meus braços.

Compreendo a mensagem sarcástica divina.

Um copo de cerveja, por favor!

O relógio encurta cada passo.

Enquadra cada pedaço do dia.

Sorrio estou sendo filmado.







Chego aos portões da decepção – tirei essa do ótimo livro de Martins Amis (Campos de Londres) valeu pela dica K – e noto que nada mais pode ser feito.

Apenas flanelas brigando por cada espaço quadrado.

Lágrimas.

Sorrio e acabo tendo um treco.

Explodo.

Pressão alta.

Direto para um hospital.

Atestado funcional.

Sorrio.





Saio do hospital diazepado.

E revendo meus diários concluo que ando ficcionando demais.

Preciso rever meus apontamentos.

Preciso baixar minha pressão.

Preciso de um copo de cerveja, por favor!


Imagens : Morgue File



Plaz Mendes

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Gonzalo Martinez # 5


As outras partes de Gonzalo: Aqui






Ao que tudo indica o grande problema da cidade era o Prefeito.


Ao que tudo indica o grande problema do povoado era a cobiça de uma empresa estrangeira.


Ao que tudo indica todos eles queriam a cabeça de Gonzalo Martinez.


O Prefeito da cidade acertara há alguns anos vender as terras indígenas, ricas em certos minerais para uma Corporação Transnacional. Contava que o General atraído por um montante de grana que daria férias eternas iria interceder a seu favor perante o povo. Contudo se enganou.




Gonzalo Martinez botou o Prefeito e seus seguranças aos pontapés para fora e os ameaçou caso voltassem com essas ideias. Ao saber dessa confusão a Corporação Transnacional adotou uma postura simples: matar Gonzalo. 

O Prefeito suando, atônito, meio bêbado, entre goles de tequila suspirou: Isso é a coisa mais difícil do mundo!



Aviso: Os personagens e a história em si são uma obra de ficção e qualquer coincidência é mero acaso. A realidade continua sendo bem mais crua.


Imagens: Morgue File


Thiago Mendes

sábado, 14 de novembro de 2015

Marianas


"A Terra não está morrendo, ela está sendo assassinada. E as pessoas que estão a matando têm nomes e endereços." - Utah Phillips






Douglas Magno/AFP





Barragens sendo rompidas.
Vidas perdidas.
Uma onda de decepção.
Um frenesi de emoção.
Uma ferida aberta que pulsa lama
Lama
Lama
Marianas
Devastadas.
Inférteis.
Minerais caros & empresas tóxicas.
Minas recheadas de sangue.
Indenizações?


Quanto vale uma vida?



Thiago Mendes

sábado, 31 de outubro de 2015

O indivíduo e as pessoas




Vexame.

Um enxame de pessoas sobre um corpo. 

Morto. 

Preto. 

Sangue.

Sua condenação foi ter nascido. 

E sobrevivido.

O filho da puta lutou.

Esbravejou.

Esbarrou numa série de dificuldade, mas não hesitou.

Não desistiu.

Insistiu demais.

Confundido.

No meio da avenida central.

Assalto?

Jaz no asfalto.

A polícia é chamada.

As pessoas se desfazem do peso de suas almas e seguem suas rotinas.

Ninguém é culpado.

Apenas o indivíduo.

De cútis duvidosa e pensamentos duvidosos.

Na dúvida –as pessoas reagem – condene-os.





Imagem retirada: daqui


Thiago mendes

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

A PEC 215 da discórdia





A proposta aprovada nesta quarta-feira (28) na Comissão Especial de Demarcação de Terras Indígenas, na Câmara dos Deputados foi um duro golpe para os povos indígenas e quilombolas. Uma ameaça real para a demarcação de suas terras está em vigência. Entenda um pouco melhor alguns pontos.

Poder de decisão:

Se a PEC for aprovada o poder de decisão sobre as demarcações passará do Executivo (União-FUNAI) para o Legislativo (Deputados). O Congresso Nacional não tem corpo técnico: estudos antropológicos, étnico-históricos, ambientais e cartográficos.

Afinal quem vai ser beneficiado com essa mudança?

Uma mudança de perspectiva aqui parece brotar tanto no Congresso Nacional quanto na mente de muitas pessoas. Algumas pessoas simplesmente se iludem com ideias do gênero: “índios tem terra demais” “Eles não produzem nada” “São vagabundos e querem todo o Brasil.”

A chamada bancada ruralista parece ter cada vez mais força, e em resumo podemos dizer que seus interesses estão diretamente ligados aos dos fazendeiros e donos de terra.


Como está esclarecido na cartilha do CIMI

“Sobre o direito à terra, a Constituição resgatou uma interpretação que já existia desde 1680, que trata do direito originário. Isso quer dizer que o direito dos povos indígenas sobre a terra já existe, ele vem em primeiro lugar. Isso quer dizer também que, ao provar que um lugar é tradicionalmente ocupado por uma comunidade indígena, não importa o que exista sobre a área, seja um parque florestal, seja uma propriedade particular, estes deixam de existir e a terra é devolvida à comunidade ou ao povo indígena. A demarcação é apenas o reconhecimento desse direito. Por isso, ela é feita pelo governo (União) e executada pela FUNAI. É como devolver, mesmo após tantos anos, um objeto roubado de uma pessoa. Ao demonstrar que aquele objeto pertenceu à pessoa, o mesmo será devolvido a ela. A demarcação da TI é semelhante, basta provar que a terra pertence a um povo indígena para que a mesma seja devolvida”.
Dois pontos que reafirmam a forma como os deputados pensam:
Com a PEC se passa a prever indenização para todos os proprietários nas terras demarcadas em todos os casos. Segundo, um marco temporal é definido para as terras permanentes indígenas e quilombolas, ou seja, os índios não terão direito à terra se não a ocupavam em 1988. Isso desconsidera grupos indígenas que foram expulsos antes dessa data devido a conflitos de terra ou mesmo ditadura.



A notícia já vem mobilizando grupos indígenas que não deixaram de lutar por seus direitos. Vale lembrar que o caso ocorre concomitantemente aos I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Isso não é uma piada.



Imagens: Latuff

Thiago Mendes

terça-feira, 13 de outubro de 2015

A Lei da Água – Novo Código Florestal

Repassando...








O Núcleo de Produção Digital de Niterói (NPD), órgão ligado à Subsecretaria de Ciência e Tecnologia, em parceria com a Cinedelia/O2 Fimes e a Biblioteca Pública de Niterói, exibe o documentário “A Lei da Água – Novo Código Florestal”, de André D’Elia , no dia 20 de outubro, às 17h, com entrada gratuita. O evento faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2015, que, em Niterói, acontece de 19 a 24 de outubro.

O filme dá voz a agricultores e especialistas, apresenta técnicas agrícolas sustentáveis bem sucedidas e casos onde a degradação ambiental exacerbada impede a continuidade de qualquer tipo de cultivo ou criação de animais.


Após a sessão, haverá debate sobre meio-ambiente e crise hídrica brasileira com a presença de Axel Grael, Vice-Prefeito, engenheiro florestal e ambientalista e da Prof. Dra. Alba Simon, bióloga e doutora em Geografia/Planejamento Territorial pela UFF.

Trailer do filme: http://bit.ly/aleidaaguatrailer

Página do filme no Facebook: https://www.facebook.com/aleidaagua

Página do evento no Facebook: 

Haverá certificado de participação para alunos e alunas do ensino médio e universitário.

A Biblioteca Pública de Niterói fica na Praça da República s/n°, centro, Niterói (em frente à Câmara Municipal). Tel: 3601-2034.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Pílula Vermelha de RAW

Matrix

E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.
Nietzsche

Recentemente li o livro de Robert Anton Wilson chamado "A nova Inquisição". Um livro de 1986, porém ainda muito atual.Em umas das partes do livro RAW escreve quase como um mago prevendo o futuro:


Por exemplo, todos nós ficamos frequentemente irritados com o jornal diário. As "notícias" ou supostas notícias que não queremos ler são impressas; opiniões heréticas e idólatras aparecem na página inicial e, algumas vezes, na seção dos colunistas. Os políticos (o campo oposto,naturalmente) contam as mais deploráveis mentiras, que também são impressas. Com a tecnologia do computador moderno, tudo isso poderá ser evitado muito em breve. Apenas preencha um simples questionário e envie-o. O computador imprimirá uma versão levemente diferente do jornal daquele dia para cada leitor, e sua cópia personalizada virá até você pela manhã contendo nada mais do que aquilo que você quer saber. Depois de um ano, ou talvez cinco, você terá esquecido
 completamente todos os sinais "estranhos" e desconfortáveis que anteriormente lhe causavam aflição
.(p 223)


Estamos diante das redes sociais?
do Facebook?
Uma ilha de edição?

RAW escreve sobre os túneis da realidade que as pessoas continuamente compõe em suas vidas. Dessa forma um único túnel de realidade seria pessoas que veem o mundo apenas por uma lógica, por exemplo evangélicos, católicos ou budistas.


Tentar este simples experimento: fique parado durante o "pôr-do-sol"
e observe por alguns minutos. Enquanto você observa os espetaculares
efeitos de cores, lembre-se de que "o Sol não está descendo. A Terra
está girando em seu eixo". Se você for estatisticamente normal, você
sentirá, depois de alguns minutos, que, embora você possa entender o
modelo de Copérnico intelectualmente, parte de você (uma grande
parte) jamais sentiu esse modelo antes. Parte de você, hipnotizada pela
metáfora, sempre sentiu o modelo anterior a Copérnico, ou seja, uma
Terra estacionária.Esse experimento também pode ajudar alguns indivíduos a entender tais termos como "realidade existencial", "realidade êmica","túnel de realidade" e assim por diante. Você poderá ter uma visão sobre quão "real" os túneis de realidade bizarros são para aqueles que "vivem" dentro dele(p214)



Metáforas.
fatos.
ilusões,

Não é mero acaso que RAW compreenda que alguns filósofos, e particularmente Nietzsche, já entendiam bem essa realidade.

Nietzsche era linguista e filólogo antes de se tornar um
filósofo, e sua filosofia origina-se na análise linguística. Ele foi um dos
primeiros (depois do enigmático Giambattista Vico) a observar que
redes linguísticas moldam a percepção e restringem o pensamento. Sua
crítica escandalosa, hilária e perigosa da moral convencional originou-se diretamente dessa observação, e era uma crítica de hábitos
neurossemânticos acerca de como as palavras nos hipnotizam e
predeterminam vereditos apressados. Eventualmente, ele se perguntou:
e se as redes linguísticas estiverem somente em nossas mentes e não
existirem no mundo externo? E se a experiência ética, a própria
existência, não editada pelo sistema de arquivos êmicos do cérebro, não
tem forma, ou for multiforme, ou perpetuamente em evolução, muito
fluida para ser capturada em um modelo ou túnel de realidade
linguístico?
(p177)


Para quem se interessa procure o livro de Robert Anton Wilson


Uma animação de 2009 chamado Metropia traz uma visão sobre os túneis de realidade. Com atores como Vicent Gallo e Juliette Lewis no cast.


Segue o trailer






Música ?





Happy Crowley ! 




Thiago Mendes 


sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Talvez



O talvez é um ponto importante em nossas vidas.
Ele aparece de uma reflexão.
De uma insinuação.
Da qual talvez não estejamos tão certos sobre as coisas.
Talvez esse mundo não seja exatamente da forma que é reprisada nas novelas.
Nem curtido nas redes sociais.
Talvez sejamos um pouco lunáticos.
Consumindo ávidos tudo que esta em nossos caminhos.
Talvez o outro esteja certo.
O outro invisível que mora ao nosso lado.
Nosso vizinho.
Nosso marido.
Nosso inimigo.
Sair dessa zona de conforto da verdade
E surfar nas possibilidades.
Talvez seja o que esse mundo precise.
Menos razão.
Mais compaixão.
Menos dinheiro.
Mais companheiros.
Talvez sejamos companheiros numa louca viagem.
E talvez estejamos levando muito a sério tudo isso.
Novos paradigmas.
Novas descobertas.
Em nossas vidas.

Feche os olhos
E abra seu coração.
Talvez esse texto possa ajudar.


Talvez.


Thiago Mendes

sábado, 12 de setembro de 2015

A única história





“Se você me dá um nome, você me nega“
                                                                       Søren Kierkegaard



Essa frase do filosofo dinamarquês representa bem sobre aquilo que aqui vou falar.
Rótulos.
Se você me diz o que sou você perde todas as outras histórias.
Se a nossa única história sobre jovens negros é a de um roubo como podemos ver todas as outras?
Através de afirmações negamos todo o resto.
Se tudo o que você digere vem da Televisão
Ou do Facebook... Você ainda não viu todas as maravilhas.
Uma árvore não é apenas uma árvore.
A cor da pele não é uma marca.
Se vivemos uma única história nunca poderemos nos libertar da opressão.
A outros caminhos por esse labirinto.
A sua história não é contada apenas pelos outros.
A história dos outros não está sendo contada por você.


Recomendo o vídeo da escritora Chimamanda Adichie que nos mostra o perigo de uma única história.





Boa História.


Thiago Mendes 

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Series de Tv



Series atualmente são o que há de melhor numa telinha, seja na sua televisão ou no seu computador. A qualidade desses projetos é superior a muitos filmes atuais. Dentre elas destaco algumas que recentemente me fizeram passar por essa sensação de que ainda há coisa boa na televisão.




Relutei bastante em ver essa série, mas no segundo episódio fiquei fascinado pelo personagem de Kevin Spacey. A trama me prendeu. Para quem gosta de política, sexo e drama.




Depois de o Jupiter Ascending havia muitas dúvidas sobre o trabalho dos brothers Wachoswski. A série que podia em sua primeira temporada ser apenas uma boa aposta se tornou a melhor de todas. Os irmãos acertaram de novo. Para quem gosta de drama, existência, emoções e sexualidade.



A primeira temporada foi um soco no estomago, um cigarro na boca e uma cerveja na mão. A segunda temporada merece crédito também, mas não tem como sentir falta de Matthew McConaughey e Woody Harrelson na tela. Para quem gosta de investigação, filosofia e boas atuações.




Admito que comecei-a para saber como seria o famoso detetive na pele de Benedict Cumberbatch. Seu Hawking foi brilhante. Para quem gosta de mistérios, UK e humor.




Mr. Robot


O que dizer de uma série que ainda nem cheguei ao quinto episódio., pois bem: Vejam essa porra! Para quem curti hacker, drogas e viu Clube da Luta, Vão se espantar!

Thiago Mendes

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Kumaré





O documentário Kumaré é um filme de 2011 dirigido e protagonizado por Vikram Gandhi. 

Na busca de um verdadeiro líder espiritual nos damos conta de que somos nossos verdadeiros mestres.
Será que os lideres espirituais são apenas ilusões ?



Essas e outras perguntas podem ser melhor exploradas pelo maior guru de todos os tempos : Sri Kumaré. Não perca a oportunidade de se divertir e refletir um pouco sobre as verdades e ilusões de nossa vida.
Conheça o Kumaré...


Aqui o doc legendado: Guru Kumaré



Thiago Mendes

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Agradecer

http://www.foodielovesfitness.com/2014/08/05/my-first-yoga-sculpt-experience/



A vida é sem dúvida tão efêmera que às vezes nos esquecemos da coisa mais simples do mundo de agradecer, então aqui vai meu agradecimento.

Obrigado a minha família que me apoia nos momentos bons e ruins.

Obrigado a minha esposa que me deu sempre forças para lutar.

Obrigado pelas tristezas e perdas que me fizeram entender que uma rosa também tem espinhos.

Obrigado aos meus amigos que me aturam ou me aturaram nesse ciclo mágico da vida.

Obrigado aos esbarrões e desencontros que me mostraram que não estamos sozinhos nesse mundo.

Obrigado a todos aqueles que gritaram e perderam a cabeça comigo me mostrando o outro lado da moeda.

Obrigado à deusa que colocou na minha vida um guerreiro que como um cometa passou rápido e mudou o curso da minha vida.

Muito obrigado a você que leu esse texto.

Sois Gratos


Thiago Mendes


sexta-feira, 7 de agosto de 2015

De que lado dessa Guerra você está?




Diante dos acontecimentos dentro e fora das nossas telas vivemos uma guerra. Uma luta entre bandidos e mocinhos, porém esses papéis são interpretados por dados tão viciados que acabamos nos perdendo entre os lados.
Uma guerra que padecem diariamente policiais e traficantes. Mas será realmente que existe um lado certo? Afinal independente de quem morre, estamos lindando com vidas, que sempre sangram no final.
A droga sempre chega, fronteiras não são empecilhos, laboratórios brotam. Mas quem são aqueles que financiam essas drogas? Essa guerra?
Quem são os senhores de guerra que invisíveis lançam esses dados?
Eles serão presos?
Uma luta que perdura por décadas e consequentemente as estatísticas são animadoras?

Redução de idade?
Jovens morrem cada dia mais cedo. Prisões lotadas com braços saindo de todos os lados.
Policiais sem nenhuma estrutura, ganhando pouco, lutando muito.
Será que realmente essas políticas têm desempenhando algum esforço real?
Não seria hora de um novo paradigma, uma regulamentação, descriminalização de certas drogas?
Por quanto tempo viveremos esse conto de fadas invertido, onde no fim todos morrem.
De que lado nós estaremos?
Da vida ou da morte?


Plaz Mendes


Créditos da imagem e textos interessantes sobre o assunto : Guerras as drogas so faz bem a quem lucra com o crime

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Deep Web Documentário


A Deep Web é gigante, milhares de vezes, maior do que a internet visível, chamada “Surface Web” Mas a Deep Web não é um lugar. Ele simplesmente representa todo conteúdo on-line não indexados. Dados bancários, códigos administrativos para governos, corporações e universidades. É como olhar sob o capô da internet.






Se você nunca ouviu falar em Deep Web, Silk Road ou Dread Pirate Roberts, esse documentário pode lhe ser muito útil para atualizar o conhecimento sobre a internet. Caso você conheça esse assunto, saiba que esse documentário vai se focar num caso atualizado: O julgamento de Ross Ulbricht.








Sim, você deve conhecer regras, mas para conhecê-las você deve primeiro violá-las”
“Sim, você deve dominar conhecimento, mas para dominá-lo você deve primeiro violá-lo”
“Sim, você deve dominar violações, mas para dominá-las você deve primeiro conhecê-las”.
“Sim, você deve conhecer violações, mas para conhecê-las você deve primeiro dominá-las”
“Sim, você deve violar conhecimento, mas para violá-lo você deve primeiro dominá-lo”


William Borroughs & Brion Gysin (Third Mind)





O foco deste documentário narrado por ninguém menos que Neo - ou para os desavisados Keanu Reeves -  pode ser sobre a internet, sobre o julgamento , sobre drogas , mas tenho poucas dúvidas que nele estamos falando de liberdade, uma liberdade que tem sido cada vez mais cara independente do fato de você ainda estar brincando de Facebook ou Google. 



Aqui você encontra o link para baixar o Documentário e a legenda



Thiago Mendes 


Um dia

Seremos um farol de esperança para as pessoas oprimidas do mundo, assim como as almas oprimidas e violadas já encontraram refúgio aqui

. Acontecerá da noite para o dia?

Não!

Vai demorar uma vida inteira?

Eu não sei.

Vale a pena lutar ate o último suspiro?

Com certeza

Quando você vê o que é possível, por que fazer o contrário?

DPR



quarta-feira, 29 de julho de 2015

Quem tá no poder raramente esta presente




Com essa frase o ator Pedro Cardoso me chamou atenção para sua entrevista para Portal UOL, entrevista essa que vale muito a pena dar uma conferida, não apenas por causa de seus ataques sobre a Rede Globo, mas pelo foco sobre o que é a Tv brasileira atualmente.





Aqui o linkPedro Cardoso






Dentro do UOL e possível ver as outras partes que compõe a entrevista completa.





Fonte: UOL vê TV


terça-feira, 28 de julho de 2015

Gonzalo Martinez # 4




Então : Segunda parte

Seguindo: Terceira parte



  Gonzalo aparentava entre cinquenta e sessenta anos, mas não seria nenhuma surpresa se acaso tivesse mais. Era um homem corpulento, com duas armas que pareciam velhas demais para um dia serem usadas.Estava acompanhando de uma mulher jovem e feia, com dentes meio podres que ficava rindo a cada novo gole de tequila.
Gonzalo ou como alguns aqui o chamam General, senta-se ao meu lado e pergunta se estou aqui por causa das terras indígenas que o filho da puta do Prefeito pretende vender.

Surpreso o explico que nada sei sobre esse assunto e que na verdade era um cineasta na cidade por motivo de férias e curiosidade sobre sua história.


Gonzalo se aproxima próximo ao meu ouvido e sussurra:Suas férias terminaram agora!




Aviso: Os personagens e a história em si são uma obra de ficção e qualquer coincidência é mero acaso. A realidade continua sendo bem mais crua.




Autor: Thiago Mendes

Imagem : Morgue File






sexta-feira, 1 de maio de 2015

1 de maio




1 de maio é dia da mentira
De que o trabalho dignifica.
Salários.
Insalubres. 
Políticos. 
Podres.
Cortes nas rendas. 
Fendas que estreitam. 
Reajustes. 
Ajuste seu relógio 
O cuco louco anuncia
É dia de morrer 
Mestres vertendo sangue em nome da educação.
Trabalhadores perdendo seus corações.
O cuco louco anuncia
É dia de morrer.
1 de maio é dia da mentira
De que o trabalho dignifica.


Jogue na loteria...



Texto : Thiago Mendes

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Vogelfrei.





Lá do alto de uma aranha-céu

_ Sabe quem é aquele que esta no alto do prédio?
_ É o louco poeta Vogelfrei.
_  É sobre o que ele fala com aquele megafone?
_ Não sei, pois não o escuto!
_ Nem eu!



Vogelfrei o poeta que fala apenas para os mortos, pois os vivos que de vivos já nada tem não o podem escutar mais.

“A medida de um homem é sua imaginação, pois ela é o filtro de sua ação”.


Homens fragmentados como espelhos quebrados.
Pedaços em cada passo e ato.
Pontes para o abismo.
E não ligações com o mistério.
Assombroso riso.
Do escuro de nossos reflexos.

Meros cacos de uma frágil imagem.


Vogelfrei

ImagensMorgueFree

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Gonzalo Martinez # 3



Aqui: Primeira parte de Gonzalo Martinez


Aqui : Segunda Parte de Gonzalo Martinez








         

Ao acordar com uma enxaqueca braba a primeira coisa que fiz , além de me entupir de remédios foi tentar recordar o papo do dia seguinte. Sentei no notebook e comecei a redigir um pouco daquilo que lembrara e para assombro meu era exatamente isso:

Gonzalo Martinez lutou contra o governo, contra os estrangeiros, contra uma doença incurável e todos acreditavam que esse homem não podia morrer.

Liguei para um contato que fizera e após alguns papos consegui marcar um encontro com essa figura num bar próximo ao hotel. Não podia perder essa oportunidade.




Aviso : Os personagens e a história em si são uma obra de ficção e quaisquer coincidências são mero acaso. A realidade continua sendo bem mais crua.


Autor : Thiago "Plaz" Mendes

Imagem : Free Morgue

terça-feira, 10 de março de 2015

Penso que o senso nos censura...






Não acenda velas para o seu senso comum.

Não sejamos presas de pré-conceitos.

Quem é o senso comum para dizer o que é a beleza?

Quem é o senso  comum para dizer que é a liberdade?

Onde está esse pensamento nas coisas simples da vida.

Nas rotinas.

No ônibus caro.

Sem ar condicionado,

No motorista + cobrador.

Senso comum?

Se desfaça dessas meias verdades.

Meios de controle.

Se desfaça dessas merdas.

Rotulando.

Impregnando.

Jogue-o fora.

Quebre-o.

Ele não representa sua vida.





Autor: Thiago Mendes

Imagem: Free Morgue

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Segunda#Feira



 


Vai dormir sem ventilador
Acordar sem água.
Condição: enlatada.
Condução sem ar condicionado.
Calor desgraçado.
Chuvas: desgraças!
Vai trabalhar sem graça.
Suor, sangue e lágrimas.


A cor da grana é vermelha.
O estresse é necessário.
O relógio é utilitário.
O sucesso é almejado.
Suor, sangue e lágrimas.


Chega em casa: cansado!
Reclama da vida e do trabalho.
Os filhos choram.
a esposa chora.
os bichos chiam.
Na televisão um monte de reclamão.
Reclama do país.
Reclama do mundo;
Reclama do reclamar;
Declaram guerra a outras forma de amar.
A dor irradia.
Suor, sangue e lágrimas.
Amanhã, por favor.
Amanhã, se deus quiser;
Se o coração aguentar;
Se o pulmão não estourar;
Será terça-feira;
Suor, sangue e lágrimas!




Thiago "WorkArte" Mendes

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Gonzalo Martinez #2



Aqui: Primeira parte de Gonzalo Martinez 







Minha pequena jornada de férias me fez parar numa pequena vila de uma cidade X cortada por montanhas e um clima seco. Parei num boteco e pedi uma cerveja, estupidamente horrível. Perguntei ao barman qual bebida eles serviam por aqui, a resposta foi no shot: tequilas!

Comecei amistosamente alguns papos com moradores locais e o assunto se resumia entre a seleção nacional – que ia mal das pernas – e sobre um justiceiro. O time de futebol nada posso acrescentar, pois desconheço esse esporte, contudo esse paladino da vila encantou-me desde o início. O povo contou diversas histórias dele, todas inverossímeis. Elas sempre acabavam revelando que esse homem não morria. Ri entre goles de tequila, e no fundo da minha caixola uma imagem cinematográfica rolava. Um novo filme, e até uma trilha sonora. Fui para o hotel bêbado cantando a música dos Mutantes.






Continua ...


Aviso: Os personagens e a história em si são uma obra de ficção e qualquer coincidência é mero acaso. A realidade continua sendo bem mais crua.

Autor: Thiago Mendes

Imagem: Morgue File

Vídeo: Youtube


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Arte Bruta






Dívidas que geram dúvidas que geram dívidas
Num ciclo impagável.
Ore, reze, compre...

Ligue a televisão
Despugle seu coração.
Ore, reze, compre...

Não ter é não ser
Ser é possuir
Possuir é viver
Ore, reze, compre...

Dilúvios que geram lixo que geram dilúvios
Num ciclo impecável
Ore, reze, compre...

Desgraçados que geram desgraças que geram desgraças
Num circo cheio de lágrimas.
Ore, reze, compre...




Autor: Thiago Mendes