sábado, 18 de março de 2017

Alguns filmes psicodélicos



“Em estado alucinógeno temos a impressão indubitável de que a linguagem possui uma dimensão objetificada e visível, que geralmente está oculta de nossa consciência. Sob tais condições, a linguagem é vista apresentada — exatamente como veríamos comumente nossas casas e nosso ambiente comum. De fato, durante a experiência do estado alterado nosso ambiente cultural normal é corretamente reconhecido como o som de contrabaixo no contínuo ofício linguístico de objetificar a imaginação. Em outras palavras, ambiente cultural coletivamente projetado, onde todos vivemos, é a objetificação de nossa intenção linguística coletiva.”

Terence Mckenna.


Alexgray.com




Naked Lunch






Dirigido por David Cronenberg o filme é uma adaptação do livro homônimo de William S. Burroughs. Insetos, drogas, Interzone, Beats e todo o universo cronenberguiano.


John Morre no Final





Filme independente cheio de humor e bizarrices. Novas drogas, invasões e diversão garantida. Acredito que este filme ainda esteja na Netflix.


Performance






Filme de 1970 com Mick Jagger em sua primeira aparição nos cinemas. Identidades, cultura hippie e uma das melhores cenas finais de um filme. Simplesmente lisérgico.

( π) Pi





Antes de Réquiem para um sonho, Darren Aronofsky havia debutado com esse simbólico filme. Conspirações, enigmas matemáticos e loucura.

Manual de Evasão LX94







Terence McKenna, Robert Anton Wilson e Rudy Rucker juntos (whats!!!) neste filme experimental português dirigido por Edgar Pêra. No Youtube você o encontra.




Thiago Mendes